domingo, 22 de maio de 2011

JOINVILLE-SC -SEMANA DO CERAMISTA -







Fui convidado para dar uma oficina de construção de forno artesanal em Joinville-SC. Foi uma boa jornada, com pessoas empolgadas e com vontade de aprender. Joinville tem, na Casa da Cultura, um bom espaço, com salas para aulas e sala de fornos. É um espaço que vem sendo construido ao longo dos anos. Agora já tem uma turma que trabalha regularmente e o desenvolvimento continua. Vejam a aparente confusão da foto. Todo mundo trabalhando, fazendo uma parte. É gratificante quando todas as pessoas cooperam. Mas, ordenando de acordo com as vontades e características pessoais é possível organizar uma equipe interessada. Os tijolos eram maciços, os menores que já ví, com 17 cm na dimensão maior e finos, 5 cm. A largura não importa, porque com uma parede de 13 a 15 cm já é suficiente como isolamento e pode ser aumentado com o reboco, com serragem, chamote, areia, capim e um pouco de cimento para permitir uma dureza final da capa. Com esse tijolo pequeno a demora foi maior. Assim, cheguei à conclusão de que um tijolo de seis furos permite uma construção rápida e, ainda, considerando que o ar é o melhor isolante, fica, inclusive, mais fácil de esquentar e, por extensão, mais rápida a queima. Por outro lado, os tijolos maciços irradiam melhor o calor e o final da queima fica recompensado. A solidez do maciço também é vantajosa quando se percebe a solidez do forno. Bem, um forno de baixa temperatura pode ser feito com qualquer tijolo. Para um forno que se quer construir rapidamente, quanto maior melhor. Esta oficina foi de um dia, começamos pelas 9 horas da manhã e terminamos com o dia escurecido, pois queríamos deixar o acabamento externo perfeito.
Como Joinville é terra de alemães, não faltou no lanche um delicioso apfelstrudel de maçã e uma cuca de banana.
A organização da oficina a cargo da Sandra estava impecável e os materiais já estavam esperando as mãos para produzir mais um equipamento para os ceramistas. Este forno, para queima de biscoito é muito bacana. Quando inventei este forno, baseado no objetivo dele, não podia imaginar que seria tão prático, de tão fácil construção. O objetivo é implantar em pequenas comunidades que com recursos mínimos consigam construí-lo. Somente tijolo e massa cerâmica (argila plástica mais argila antiplástica que pode ser encontrada em qualquer cidade). Mas onde se tem recursos, fica mais fácil ainda. O ciclo de queima para este forno é de 9 horas. A temperatura a ser atingida é de 800 graus, suficiente para uma boa peça artesanal.
O espaço interno, útil é de 80 cm x 80 cm x 90 cm. Poderia ser até uns 20% a mais na dimensão da altura em reação à largura e profundidade. Assim, ele fica um pouco alto, ainda adicionando a dimensão da cãmara de combustão, 40 cm de altura, ele fica alto e magro. Foi este o resultado a que cheguei depois de construir 33 fornos. Este formado me pareceu o melhor, de maior eficiência na queima. Mas, cada forno é diferente, mesmo que tenha as mesmas dimensões, é preciso conhecê-lo, adaptar-se à ele e usar o que tem de melhor.

4 comentários:

josiane disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
josiane disse...

Vou levar essa experiencia de construir um forno com muito carinho
Fico feliz de ter feito parte desta equipe, foi um trabalho em conjunto onde voce respeitou a singularidade de cada pessoa. E o resultado esta la! Parabens pra voce parabens tambem para as professoras Sandra e Heloisa que a todo momento inovam, motivam e buscam contribuir com pessoas como voce, para o aprimoramento do nosso curso, para valorizar a ceramica e o ceramista.
Um forte abraço

Elaine disse...

Adorei fazer parte desta turma, foi uma sexta feira muito produtiva. Vou guardar este dia com muito carinho.

. disse...

Obrigado para vocês! Foi uma boa jornada!