quarta-feira, 16 de agosto de 2017

Pintura Gestual (digitando)


Há anos venho tentando entender e desenvolver a pintura gestual. É muito difícil porque fica aquele resultado borrado se o gesto não for espontâneo, porém muito controlado. O preto no branco tem o contraste  ideal, você pode estar olhando a figura branca ou a preta, duas realidades. Fiquei durante anos pintando a técnica de vertimento, mas vez por outra sentia-me satisfeito. Na maioria das vezes achava o resultado como algo mal feito. Não é só deixar escorrer o vidrado, não funciona! 
A pia acima, estudei como deveria fazer a pintura, treinei, mas quando compreendi como deveria fazer, zapt, em alguns segundos a pintura estava pronta. Queima = raku !   Queria o contraste, mas a encomenda da pia já estava feita, preto no branco. Gostei!
a suivre......

quinta-feira, 10 de agosto de 2017

OFICINA SANGUE DE BOI - RESULTADO

Fazer uma oficina  de um vidrado, como é o Sangue de Boi, é um desafio, para mim. Tudo num dia: preparar as soluções, passar nas peças, enfornar e queimar a 1263oC.
Ainda tem a redução que precisa ser correta, senão não ¨sangra¨.
 Meu forno é cilíndrico, funciona com apenas um maçarico potente, 50 kcal, que permite fazer a redução.
Fiz uma queima rapidíssima, em 3 horas apenas, até a temperatura acima. Depois começa a redução mais completa, pois inclusive na subida da temperatura já vou reduzindo, no próprio maçarico.
É muito compensador trabalhar junto com um bom grupo de pessoas, interessadas no assunto e de astral suave. Tudo acontece normalmente, flui.  O dia estava espetacular, a cerejeira do Japão estava no ponto máximo da sua floração, dando uma agradável sombra cor de rosa, ao lado do ateliê.
As peças abaixo foram feitas pelos participantes da oficina!


A peça acima ficou vermelha com manchas azuis, aquela pintura característica de chama.
Quando a redução, em algumas áreas do forno, não funciona perfeitamente, devido à circulação interna, ou por estar mal vedado o forno, aparece o verde cobre. Gosto desta mistura, já que funciona como tendo sido pintada pela chama redutora e  pelo vento oxidante.


A queima de fogo sempre tem aquela  atração, trabalhamos na transformação, manipulando a
queima, buscando o acerto.
Com esta oficina terminou a sequência de encontros que começou no ano passado, com oficina de modelado de Máscaras, Raku, depois confecção de massas de alta temperatura, massa para raku, massa texturizada, pesquisa de vidrado pelo método Triaxial, Vidrado de Cinzas e, por último, o clássico Sangue de Boi. Foram oficinas onde mostrei o meu trabalho, como eu faço e passando adiante a minha forma de trabalhar. São muitas as maneiras de se fazer cerâmica, praticamente vou abrindo meu próprio caminho, encontrando resultados e  redirecionando, sempre, minha meta. Serendipicidade!
Obrigado à todos!

sábado, 29 de julho de 2017

OFICINA DE VIDRADO SANGUE DE BOI - DIA 06.08.17

Sempre tive grande atração pelos vidrados clássicos orientais=sino/nipo/coreanos. O Sangue de Boi é um ícone. Tentar acertar o vidrado é  um grande desafio. Muitos desistem. Corri até o Instituto Condorhuasi, do Chiti, para ver como o Maestro fazias seus vidrados. Faz quase uma década. Depois disso, gastei muitos bujões de gás para repetir, adaptar e acertar o vidrado. 
Tinha lido por aí que o Hamada tinha feito 4000 testes de Sangue de Boi.O caminho pareceu longo.
Tem sempre algo a mais a pensar: como é o vidrado Sangue de Boi que eu quero?
 Depois de ver o Sangue de Boi sobre porcelana, olhar em fotografias vidrados belíssimos, vi que o caminho precisava ser ao meu modo. As massas que eu gosto e que tem a ver comigo são texturizadas, possuem um pouco do vermelho das nossas argilas, ou das roxas, ou lilás, ou salmão, ou outro tom, que confere ao resultado final um peso de cor na  massa que me atrai. É o grês! Para por aqui mesmo. Se me gusta, definido o caminho.
Fiz centenas de peças com o vermelho característico de  redução do Cobre em alta temperatura. Onde elas estão? Algumas tirei fotos, poucas tenho comigo, fui vendendo, doando, sempre procurando mais um resultado. 

I) - O QUE É O VIDRADO SANGUE DE BOI:

É um vidrado clássico, de alta temperatura, com óxido de cobre no vidrado, que é reduzido à cobre vermelho durante a queima. Se não fosse reduzido o vidrado seria verde cobre.


II) - COMO VAI ACONTECER A OFICINA:
Começa às nove da manhã, com explicação teórica sobre a redução do Cobre. Apresento uma formulação que será preparada. Quem quiser pode trazer e preparar sua solução de vidrado, passar numa placa teste e depois ver o resultado.  Todos devem trazer uma peça, de tamanho pequeno, 10-15 cm de altura e diâmetro de 8-10 cm, e 10 placas teste. Estas peças e placas devem resistir a 1263 oC, que será a temperatura de queima. As peças serão vidradas e enfornadas e, em seguida, será começada a queima, com a demonstração da redução. A apreciação dos resultados poderá ser no mesmo dia, com risco de quebrar as peças, ou no dia seguinte. Excepcionalmente farei uma queima rápida, 4 horas, para encaixar no mesmo dia.


III) - ALMOÇO E LANCHE:

Almoço e lanche no Terra 
 Brasil Café, veja face book. Comida na qualidade especial para a oficina.
IV) - CUSTO:
O custo é de R$ 250,00,por pessoa,  a ser pago na 
 inscrição.

V) - VAGAS:
Máximo de 15 pessoas.

As peças acima foram queimadas  no meu  forno à gás e, como podem ver, tem várias tonalidades de vermelho, de acordo com a composição do vidrado, todavia, sempre o cobre como pigmento. Uso a malaquita ou óxido de cobre preto,ou, ainda, carbonato de cobre.

VENHAM PARTICIPAR!

ATELIÊ NARCISO CERAMISTA 
gpnarciso@hotmail.com

VIDRADOS DE CINZA - RESULTADOS

O resultado acima ficou excelente! Dos testes que fizemos, este ficou o mais homogêneo em termos de pintura. Está pronto, definido, definitivo. Resta repetir, cambiar os pigmentos e usar.
Numa oficina, como foi a nossa, rápida, de apenas um dia, os testes  já estavam preparados, tinham sido testados, mas uma margem de novas experiências sempre fica para o dia da oficina. Desta maneira, podem aparecer resultados inusitados e, ainda, dar vazão ao comando emocional dos participantes.
Este vasinho tem uma mistura de azul cobalto com cobre. Ficou ótimo, a cobertura está perfeita, o vidrado foi passado de maneira correta.
Tenho alguma dificuldade em ampliar as oficinas, com  3 encontros e, assim, abordar os vidrados de cinzas mais amplamente. Seria mais satisfatório  e daria mais consistência, Todavia, o momento histórico é meio corrido, apertado e financeiramente esquisito. Não há imposto que baste para satisfazer a sanha  governamental, cujos gastos não resistem às menores argumentações. Por exemplo: Quanto custa o auxílio "dentadura" para os nossos deputados federais, anualmente? Deixa prá lá! Cartas para o seu deputado!!!

 
Moro na área rural, para os alunos ou participantes de oficina virem até aqui é sempre um problema. Apesar de morar na histórica  Estrada da Graciosa, asfaltada e de fácil acesso. Tento amenizar os problemas fazendo uma oficina consistente, com conteúdo e  abordagem ampla, do que se faz no mundo inteiro no assunto  em pauta. Uso a bibliografia que tenho disponível  e que fui ampliando ao longo do tempo, faço as referências e deixo toda a biblioteca, mais de 130 livros, disponível para consulta.




Nesta oficina referencio os vidrados de Bernard Leach. Wolf Mathes, Chiti e outros. Claro, preciso adaptar ao interesse dos alunos. Quase ninguém possui forno ao fogo. Por isso, o estudo de vidrados de cinzas foi feito para forno elétrico, para 1230 oC.


Todos fizeram suas plaquinhas que servem para consulta futura, juntamente com a apostila da parte teórica.



Estamos no meio do inverno, um contraponto é marcante na nossa latitude. Flores de cerejeiras, de pessegueiros, de rododendros e estrelícias. As helicônias, porém,  com as folhas queimadas pela geada.

quinta-feira, 22 de junho de 2017

OFICINA DE VIDRADOS DE CINZAS NO DIA 02 DE JULHO DE 2017-DOMINGO





Estou convidando você para participar de uma Oficina de Vidrados de Cinzas no dia 02.07.2017 (domingo).
Os Vidrados de Cinza têm encanto especial e fascínio sobre os ceramistas. Saber o que são e como usá-las, é muito interessante e engrandece o leque de conhecimento de qualquer ceramista.
O QUE É A OFICINA:

As Cinzas são usadas em vidrados desde que os chineses desenvolveram fornos que pudessem fundí-las. Hoje com os fornos elétricos e os eficientíssimos fornos à gás e à lenha, ficou mais fácil usá-las e fazem parte de muitas formulações. 
A Oficina vai mostrar como se usam as Cinzas. Como prepará-las para fazerem parte de formulações e, também, principalmente, serem o principal componente de um vidrado. Serão pesadas várias formulações que permitirão aos participantes terem um Vidrado Base de Cinzas para usar em seus  trabalhos, com o efeito e cor que desejar.
A temperatura de queima do vidrado será 1230 oC.

COMO FUNCIONA A OFICINA: 

A Oficina começa às 9 horas da manhã e termina às 17 horas. Todos os participantes receberão um arquivo com a parte teórica da Oficina, após a confirmação da inscrição. Será demonstrado como limpar, lavar e preparar as Cinzas para serem incorporadas às formulações. Cada participante deverá trazer 20 plaquinhas para ter seu arquivo de testes com as formulações que forem elaboradas na oficina.  Serão, então,  queimadas, para apreciação do resultado.

O Almoço e o Café da Tarde serão servidos no Terra Brasil (facebook.com/terrabrasilcafe),  com a qualidade e capricho de sempre!


CUSTO:

O Custo individual é de R$ 200,00, a  ser pago para confirmar a inscrição, 

Gilberto P.Narciso
gpnarciso@hotmail.com
facebook.com/ narcisoceramista




terça-feira, 13 de junho de 2017

VIDRADO MÉTODO TRIAXIAL - RESULTADO



A Oficina de Pesquisa de Vidrado pelo Método Triaxial foi encerrada. Foram escolhidas as melhores composições para servirem de Vidrado Base. Uma vez encontrada a base, temos um vidrado para a temperatura que desejamos, no caso 1230 oC, e com ele podemos trabalhar, melhorando sua composição. Como o vidrado procurado deveria ser transparente, este, então, foi opacificado. Ficamos, então com duas bases, uma transparente e outra opaca. Em cima destes dois foram adicionados óxidos modificares de vidrados e os pigmentos.  O enfoque foi dado aos pigmentos naturais e praticamente sozinhos, apenas o cobre com cobalto e este com manganês,os demais puros.


Somente dois encontros, o primeiro para encontrar a melhor composição e o segundo para refinar e melhorar. Tudo muito rápido! 
De posse do resultado, os participantes, com suas amostras, tem amplo campo de pesquisa e de utilização desses resultados. São milhares de possibilidades para os vidrados. Com certeza que é possível  cada um encontrar inúmeros vidrados exclusivos, dezenas, etc.



Porque milhares de possibilidades. Vejam, as matérias primas do vidrado, puro, transparente, são diferentes de fornecedor para fornecedor. Os opacificantes principais são o Estanho, Titanio, Zinco, Zirconio, mas pode ser usado o caulim, bentonita, em pequena quantidade, principalmente. Os modificadores, que são os metais alcalinos terrosos, são em número de quatro, os principais e os pigmentos mais usados, Cobalto, Cobre, Ferro, Manganês, Cromo. Quando associamos todos em percentuais variados, o resultado vai ampliando e as variações aparecem. Com um pouquinho de imaginação vai-se longe.



       




Aí estão alguns resultados. Rápidos, mas já mostram o que é possível. O que vejo de principal é a possibilidade que se abre a quem estuda, pesquisa. Estes vidrados, nunca  tinha pesquisado, fui inventando para a nossa oficina. Também aprendi bastante, pela troca que existe com as pessoas que tem interesse comum.




                                             Próxima oficina= VIDRADO DE CINZAS!





Na foto o galo garnisé, de cerâmica, sobre o telhado da casa onde moro, casa antiga, de madeira, com mais de 100 anos.

terça-feira, 6 de junho de 2017

FLAVIA VANDERLINDE - VIDRADOS CERÂMICOS

  

No dia 24 de maio, aproveitei a chance de participar novamente de um curso avançado sobre vidrados cerâmicos com a Flavia Vanderlinde. Já participei de vários. É sempre uma oportunidade de grande aprendizado ouvir a Flávia que é um poço de informação sobre vidrados cerâmicos. A sua larga experiência prática em confecção e estudo de vidrados enriquece qualquer pessoa que seja do ramo e que queira aprender. É muito disponível, sem barreiras, oferece seus conhecimentos sem restrições, com seu jeito espontâneo e sincero, cativando as pessoas.
O estudo de vidrados é amplo e vários métodos existem para conduzir uma pesquisa. A Flávia está usando o que ela chama de famílias, onde você define um vidrado base, depois vai adicionando modificadores de vidrados e os pigmentos com suas associações. Assim, os resultados começam a se multiplicar e as escolhas vão levando os interessados para um vidrado que acaba ficando individual.
Claro, as matérias primas nem sempre são padrão, podem  apresentar variações de uma região para outra. Hoje está difícil encontrar um feldspato de potássio que seja sempre de potássio, sua associação com o feldspato de sódio pode enganar o incauto, mas, por outro lado, para um olhar atento pode levar a novo resultado. Por isso, usar o que se tem disponível, testar e ver os resultados, adaptar o que se tem ao que se quer é o bicho.
As possibilidades são muitas e somente o estudo e o trabalho continuado vão levar além.
A Flávia tem enfocado, também, os cuidados com vidrados tóxicos, como evitar e usar os efluentes das soluções de vidrados, o que é muito bom e necessário, pois o ser humano está abusando do Planeta e não custa nada para o ceramista fazer a sua parte = nada de efluentes no ralo: decante em baldes, depois reutilize!
Grato, Flávia, Boa Sorte, saúde e vida longa!


Debaixo da copa do pinheiro, do lado direito, ampliando, dá para ver a silhueta do Pico Paraná,   1900 m de altitude, o ponto mais alto do sul do Brasil. O sol de inverno está quase nascendo ao lado deste ponto notável que vejo da minha casa. Juntamente com o pinheiro, uso como ponto de referência para acompanhar a trajetória do sol. No solstício de inverno, quando  o sol atinge o seu máximo ao norte, quase nasce atrás do PP, como é conhecido por aqui o Pico Paraná.
Ainda acho maravilhoso contemplar o nascimento do sol, acompanhar sua movimentação no plano horizontal,  diariamente, tomando um mate, com erva mate e cuia produzidos aqui mesmo. A maioria das pessoas não tem mais noção nenhuma de como o sol anda, diariamente, mudando seu local de nascimento. Solstícios, equinócios, Trópico de Câncer, Trópico de Capricórnio. (Não é crítica, é tristeza, porque, enquanto isso a malandra dupla Free Boys se escafedem iaticamente prá casa protetora do irmão do norte, deixando-nos boquiabertos, pasmos, com o nosferatu comandando e o traficante correndo sorrateiramente com a mala de conteúdo desconhecido. E o Bufus horridus cuspindo legalidades? Quem tem estômago?)