quarta-feira, 9 de julho de 2008

TORNO CERÂMICO



Várias civilizações antigas reivindicam para si o mérito da invenção do torno, considerada por alguns como a mais antiga máquina criada pelo homem. Os gregos diziam que a roda de oleiro fora inventada por Pérdix, sobrinho de Dédalo, este o patrono da indústria.
Sempre é um desafio trabalhar no torno quando pretendemos encontrar alguma forma que personalize o nosso trabalho. Como o uso de torno é milenar, torna-se difícil tornear uma peça que já não tenha sido feita. As variações podem ser mínimas, mas o resultado como um todo sobressai. Algumas formas são consagradas. Os vasos gregos, ânforas, moringas, leiteiras, bules, filtros, formas abertas, fechadas, recipientes para todos os usos. Enfim, depois de todo o trabalho para aprender a centrar o barro, começar a erguer o cilindro, inicia-se uma nova etapa que é a de encontrar as linhas que nos agradem, que expressem aquilo que estamos desejando no momento.
As peças torneadas levam a vantagem de permitirem a construção rápida. Assim, podemos, uma vez definida a forma, produzir uma grande quantidade de peças iguais ou semelhantes.
Para testar vidrados o uso de peças torneadas pequenas de 10 a 20 cm de altura são excelentes.
Tenho produzido uma massa de boa qualidade para tornear. Como faço muitas queimas de Raku, 1000 graus centígrados, e de alta, 1265 graus centígrados, a maior quantidade de peças são aquelas que modelei no torno. Como gosto do efeito um pouco rústico no grês, resulta que as massas são semelhantes. A massa vermelha comporta-se muito bem na queima de raku, misturada com chamote e talco. Dependendo do efeito posso variar a granulometria do chamote e a própria cor do mesmo. Chamote de tijolo, chamote refratário de cor de queima branco ou escuro (que tem algum percentual de ferro na massa). A variação maior na massa de grês e para queima de raku é na argila vermelha e no talco. O grês não precisa de talco, que é caro. O talco é usado para dar resistência ao choque térmico. Químicamente é um silicato de magnésio = 3MgO.4SiO2.H2O. A argila vermelha deve ser usada em percentual menor no grês, sendo substituída por uma argila de queima branca e mais ainda o caulim, que tem alto percentual de alumina..
Algumas pessoas acham que o chamote grosso fere os dedos ao ser torneado. Todavia, para um efeito raspado com o aparecimento de sulcos ou pequenas crateras a granulometria grossa é indispensável. O que vale é o efeito. O torneiro sempre encontra uma maneira de evitar que o chamote machuque seus dedos.
Massa para torno:
Raku = Argila vermelha - 65%
Talco - 15%
Quartzo - 4%
Chamote - 15%
Bentonita - 1%

Grês = Argila vermelha - 30%
Argila branca - 40%
Caulim - 14%
Chamote - 15%
Bentonita - 1%

Há mais de 15 anos que preparo minhas próprias massas. Primeiro timidamente, indo buscar argila em olaria e adicionando material anti-plástico. Posteriormente fui ficando mais independente utilizando argilas de barranco, modificando a coloração da massa em função das argilas que ia encontrando, pela cor, pela beleza e vendo os resultados. Adquiri, com isso, muita confiança em preparar minhas massas e hoje em dia, confesso, para preparar as composições acima citadas, para raku e grês, eu não faço pesagem, a proporção é visual e a massa resultante, pela sua trabalhabilidade e aparência é o que busco. Como não necessito um padrão perfeito de repetição não há porque fazer sempre a mesma massa. Quando quero que as peças saiam com a qualidade igual, preparo uma grande quantidade de massa para o trabalho em vista.
A fotos é de peça torneada, raku, e o torno é artesanal, de qualidade excelente, sem aquele barulho de motor confinado em lata. A roda da parte inferior é de ferro, com 65 kgs, que aproveita a inércia do impulso dado pelo motor. Foi feito por um torneiro e o custo destte torno totalizou R$ 1.450,00.

20 comentários:

Anônimo disse...

isso ai q você falo no final,o torneiro custo R$1.45o,oo ou eh o vaso que você fes?

. disse...

Este valor é o custo do torno pronto.

Abraço,


Gilberto Narciso

ROGERIO AGUIEIRAS disse...

Olá Gilberto, sou novato na area da cerâmica, ja tentei fazer um torno mais naum fikou muito bom. Gostaria de como funciona seu torno direito. Me mande um e mail : rogerio.aguieiras@hotmail.com

Mauricio Xavier de disse...

Olá, estou procurando uma maromba usada para produção artesanal. Você sabe onde posso encontrar?

Anônimo disse...

Gostaria de saber o contato para adquirir um torno destes, grata, Maria do Carmo.
e-mail carminha_artista@hotmail.com

tomribeiro disse...

Boa noite Gilberto,
Quero comprar um destes tornos, poderia me passar o contato?
Obrigado,
Tom
tomribeiro@gmail.com

Gustavo Guimarães disse...

Amigo, também gostaria de encomendar um torno desses. Pode me passar o contato? guimaraesgustavo@yahoo.com.br

Marcia Zaros disse...

Não é difícil nem muito caro fazer um torno elétrico. nem sei porue se vendem tão caros..pensam que cerãmica é pra rico que não tem o que fazer? eU Fiz um eficou muito bom.Usar um motor de baixa rotação ex. de 1/3 (se tiver um moatort de alta rotação terá de diminuir com um sistema de polias),um eixo de metal(sistema fundamental para a centralização das peças... acoplado em rolemãs(uma inferior outra no prato, disco inferior é de madeira, pode ser dois de compensado unidos por parafusos, bacia usa uma comprada no 1,99, bancada feita madeira qualquer,ou chapa de compensado envernizado ou aplicado formica. O disco pode ser encomendado numa tornearia mecânica.E pronto.Se nãoa quiser motor é só fazer o disco inferior mais pesado e girar com a força de um dos pés..como o disco neste caso deverá ficar pesado ele vai girar sozinho por um bom tempo até precisar de novo impulso(idéia muiato antiga e que funciona muito bem até hoje em muitos lugares).

Mundo Top disse...

ola mauricio chavier tenho uma maromba usada tem interesse em adquirir uma so entrar em contato no meu email. jerffson.2j@gmail.com

Drika disse...

Boa tarde! Gostaria de saber se voce dispoe de um torno usado para vender ou se encomenda.
Nao precisa estar em otimas condicoes mas so funcionar.

Meu email é adrianadias.f@hotmail.com

Eduardo disse...

Gostaria de saber sobre o torno, por favor entre em contato no email falabella.eduardo@gmail.com

fatima gilberti disse...

Alguém sabe de um forno para alta temperatura e torno para vender? Contatos fagilberti@gmail.com

ANA LIA ANDRADE disse...

Gostaria de comprar um torno cerâmica usado.
Quem tiver faca contato comigo por e-mail
analy393@gmail.com

Anônimo disse...

Olá Narciso,
Gostaria de adquirir um torno para cerâmica. Você poderia me dar uma dica de como encontrar por um bom preço? Pode ser usado. Fico muito agradecida. Gostei muito de seus trabalhos. Se não estivesse em SP gostaria de participar de suas oficinas.
Abraços, Grata
Chris

gimatioski disse...

Bom dia! Gostaria de adquirir um torno? É possível me passar um contato? Obrigada! gisellematioski@hotmail.com

andnirvana123 disse...

Boa tarde! Preciso urgente comprar um torno em um preço justo. Se alguém souber... meu contato é jmandrex@gmail.com

Juliana Marcondes disse...

Ola! Gostaria de saber o valor do torno e as condiçoes de pagamento assim como as caracteristicas. Aguardo contato. julianalmarcondesgmail.com
Att
Juliana

Lucia Figueiredo disse...

boa tarde, estou cotando tornos, e me interessei por esse. Ainda está vendendo? e qual valor ?agradeço.
Lucia

André Dias disse...

Jung.com.br

Carla Nicolau disse...

Nossa vc disse q e fácil, mas p quem n entende nada de motores ou de instalações elétricas se torna difícil, preciso de mais de um torno e n tenho grana p comprar um desses caros, alguem me indica um usado, ou me ensina passo a passo a fazer um...tentei fazer um curso motor de liquidificador e o torno quase voou comigo segurando kkkkkk
Carla.renata.nicolau.cn@gmail.com