segunda-feira, 14 de julho de 2008

OFICINA FORNO DE ALTA - 1300 oC






Neste final de semana, sábado, dia 12 de julho, em Curitiba, no ateliê Arte Cerâmica de Sada Mohad, ministrei uma oficina de construção de forno de Alta Temperatura, artesanal, a gás.
Trata-se de um forno construído com tijolos isolantes, cilíndrico, com as dimensões externas de 80 de diâmetro e 90 cm de altura.
É muito simples e prático. A oficina começou com o forno pronto, montado. Imediatamente passei a desmonta-lo e remontei-o em seguida. Esta operação não demorou uma hora. Depois disso coloquei as prateleiras, algumas peças e iniciei a queima.
Este forno é também muito eficiente, com consumo mínimo de gás, tempo de queima controlado, com possibilidade de aumentar ou diminuir este tempo de queima.
Ele segue o modelo bolado pelo Mestre Argentino J. H. Chiti. Os modelos cilíndricos, segundo Chiti, são os mais eficientes: tem a melhor circulação, são mais fáceis de serem construídos, tem menor consumo de combustível. Evidentemente que estamos falando de fornos de pequenas dimensões, que permitem a carga e descarga pela parte superior.
O volume útil deste forno é de 58 cm de diâmetro por 80 cm de altura. Os cálculos de abertura para entrada de gás e ar, a potência dos maçaricos e abertura de saída dos gases foram feitos usando os dados fornecidos pelo Mestre Chiti nos seus livros e nos cursos que acontecem no Instituto Condorhuasi, como, por exemplo, aquele de abril deste ano.
A oficina queria apenas mostrar um forno barato, seu funcionamento, distribuição da temperatura no interior, acompanhado com controlador digital e cone pirométrico. Fixamos o tempo de queima, até 1200 graus centígrados, em 3h 30m, com patamar de 30 minutos. Todavia, com o objetivo de abreviar o final da queima, resolvemos completar a queima em 2h50m, com patamar de 30 minutos. Esta performance do forno foi conseguida com maçarico de 50kcal/h comprado no Instituto Condorhuasi, em Buenos Aires. É um maçarico feito especialmente para queima cerâmica, modelo que somente lá pode ser encontrado. Permite usar chama oxidante, neutra e redutora. É claro que para este tempo de queima não levamos em consideração maturação do vidrado, crescimento de cristais, etc, não era esta a meta da oficina. O consumo de combustível foi de aproximadamente meio butijão de gás de cozinha, de 13 kgs. O custo deste forno é de R$ 4.500,00, aproximadamente.
Nas fotos mostro o forno e as pessoas que participaram da oficina. Mostro também uma peça queimada num forno igual ao da oficina, com vidrado de cinzas, a 1263 graus centígrados.
Em agosto será repetida esta oficina no mesmo ateliê.

3 comentários:

tia adoptada disse...

olá, vim aqui ter por causa da cerâmica; vou voltar a passar, com mais tempo. Descobri a olaria há poucos anos; infelizmente, não tenho condições para me dedicar tanto quanto gostaria. É uma actividade fascinante e para quem tem preocupações ambientais, ainda mais - impressionante como tuso se aproveita, não é?
Felicidades

Artes do Fogo disse...

Como vai mestre? espero que muito bem, estou fazendo umas experiencias de esmalte, e também mais habil com o torno, assim que tiver oportunidades que participar de uma oficina de raku!

Abração Claudia (Guaraqueçaba)

Anônimo disse...

1) - Tia Adotada=
A cerâmica é inesgotável.Gostaria muito de fazer algum curso de cerâmica de alta temperatura em Portugal.
Um abraço do
Gilberto .

2) - Cláudia!
Saudades de Guaraqueçaba... Apareça no meu ateliê. Acho que as máscaras que você faz tem mais personalidade, força. Estou dando curso de graça aqui de 18 a 21-8, de cerâmica básica, pelo Senar.Abraço do
Gilberto.